Neste Natal, pratique a adoção consciente

fonte: R7

Comprar ou adotar bichos por impulso pode levar donos a abandonar o animal futuramente

Conviver com um bicho de estimação é bom para o desenvolvimento infantil

Conviver com um bicho de estimação é bom para o desenvolvimento infantil

Um animal de estimação pode ser uma ótima opção de presente de Natal, especialmente para crianças, que vivem pedindo um bichinho para os pais. Porém, incluir um pet em casa não é uma tarefa tão simples e requer planejamento.

O médico veterinário Aldo Macellaro Jr., de São Paulo, explica que antes de tomar uma decisão, é necessário refletir sobre alguns cuidados para evitar que a experiência se transforme em um pesadelo para toda a família.

  • O primeiro passo é tomar consciência de que um pet muda a rotina de qualquer lugar. Depois, é essencial avaliar se o cão escolhido combina com o estilo de vida e da casa dos proprietários.

A dica é consultar um especialista para obter o máximo de informações possíveis. Existem raças para cada perfil de dono e residência. Macellaro afirma que, com este planejamento, as chances de que tudo dê certo são muito grandes. A partir daí é só estabelecer uma rotina para o novo integrante da família.

Outro fator que incomoda muita gente e até impede as pessoas de adquirirem um pet é o choro à noite. Por isso, é importante resolver onde o cachorro irá dormir antes mesmo dele chegar. Este lugar deve ser confortável, termicamente protegido e permitir o livre acesso à água fresca.

  • Como este será o novo espaço do bichinho, tem que estar organizado e bem apresentado para que ele goste e se sinta bem ali. Também é muito importante que o cão passe por uma consulta no veterinário para que este possa dar todas as orientações sobre as vacinas, vermífugos e alimentação. É recomendado, ainda, fazer um check-up detalhado para saber se está tudo bem com a saúde do animal.

O papel da família

O veterinário explica que o relacionamento com os proprietários se inicia desde o primeiro momento em que o pet entra na casa. A família é 100% responsável por influenciar o comportamento do animal, tanto para o lado positivo quanto para o negativo.

  • O bicho assimila tudo o que acontece à sua volta e, se não for orientado, começa a interagir com o ambiente e criar sua própria rotina.

Para não ter problemas futuros com o novo mascote, seguem algumas dicas essenciais:

  • Para adotar um animal abandonado, é preciso levar RG, CPF e comprovante de residência.
  • Observe o comportamento do bicho e visite-o algumas vezes antes de levá-lo para casa. Assim, fica mais fácil saber se ele combina com você.
  • No caso da adoção, peça o máximo de informações para a instituição. Cães e gatos abandonados, quando recolhidos, são castrados.
  • Cuidado: se o bicho ainda for um filhote e sem raça definida, é difícil saber que tamanho ficará sem conhecer os pais.
  • Opte por animais que tenham mais de três meses e já estejam vacinados com as três primeiras doses. Levar um bicho para casa sem as vacinas, coloca em risco a saúde do filhote, que é super frágil e pode contrair alguma virose fatal com facilidade.
  • Fique de olho na vermifugação. Tanto o filhote como a mãe devem receber vermífugos aos 15 e 30 dias de vida da ninhada. Os cães adultos também são vermifugados de acordo com orientação veterinária.
Related Posts with Thumbnails

Post to Twitter Tweet This Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Spam Protection by WP-SpamFree